Alimentação Infantil

Saiba como cuidar da alimentação das crianças e quais são os erros mais comuns para não comete-los.
Os hábitos alimentares iniciam desde muito cedo, ainda na amamentação. É importante que as crianças sejam conduzidas para uma alimentação saudável, favorecendo o crescimento contínuo e evitando complicações de saúde ainda pequenos. Reunimos algumas orientações nutricionais por faixa etária para garantir que a criançada evolua da forma correta.

Do nascimento aos seis meses: Nessa idade, não é necessária nenhuma outra alimentação além do leite materno, exceto a criança tenha algum tipo de intolerância a lactose. Não é recomendado chás, agua e nem sucos.

É importante também, que a mãe se preocupe com a própria alimentação, pois tudo será repassado ao bebe através do leite.

Dos sete aos onze meses: Entre o leite materno, comece a inserir as papinhas para o bebe, considerando sempre todos os grupos alimentares/porções: Carboidrato (3x); Verduras e legumes (3x); Frutas (3x); Proteína (2x); Feijão (1x); Óleos e gorduras (2x).

É importante que as papinhas sejam feitas e amassadas na mão e não batidas no liquidificador. Não use condimentos e coloque pouco sal.

De um a três anos: O ideal aqui é que se estabeleça os horários de alimentação com três refeições principais, além de dois lanches nos intervalos. Passam também a ser oferecido leites e açucares, deixando então as seguintes porções por grupos: Carboidrato (3x); Verduras e legumes (3x); Frutas (3x); Proteína (2x); Feijão (1x); Óleos e gorduras (2x); Leites e derivados (3x); Açucares (1x).

Fase importante para definição dos hábitos alimentares da criança. Nessa fase a criança irá comer o que os pais comem, e muitas vezes são oferecidas guloseimas diversas para a criança, o que está completamente errado.

 

De quatro a oito anos: Consideramos as seguintes porções para consumo: Carboidrato (5x); Verduras e legumes (3x); Frutas (3x); Proteína (2x); Feijão (1x); Óleos e gorduras (1x); Leites e derivados (3x); Açucares (1x).

As crianças passam a ser um pouco mais resistentes aos horários alimentares. Durante essa fase também que se inicia as atividades em jardins de infância e creches e precisam levar de casa seus próprios lanches. É importante que esses lanches sejam feitos cuidadosamente e os pais precisam ter ciência de que são os maiores exemplos alimentares das crianças.

Uma dica é envolver a criança nas escolhas dos alimentos, assim ela pode dizer o que gosta mais de comer e tornará as refeições mais divertidas. Claro, que o volume de açúcar e guloseima deve ser ponderado pelos pais.

De oito a doze anos: Nessa fase o apetite da criança aumenta consideravelmente, e a sugestão de quantidade por grupos alimentares são: Carboidrato (5x); Verduras e legumes (5x); Frutas (4x); Proteína (2x); Feijão (1x); Óleos e gorduras (1x); Leites e derivados (3x); Açucares (1x).

Esse aumento de apetite é derivado do aumento de atividade física nas atividades escolares e até mesmo em casa, o que deve ser bastante incentivado pelos pais.

É importante que os pais estejam atentos e conversem com seus filhos sobre a ingestão de açucares, guloseimas e refrigerantes. Nessa idade o acesso a esses passa a ser muito mais fácil, então se for consumido deverá ser moderado e esporadicamente.

Além dessas recomendações por idade, é muito importante que a alimentação seja um momento prazeroso entre pais e filhos e em geral, salientar o consumo de todos os grupos alimentares e também ingestão de água, pois juntos eles irão contribuir para um excelente rendimento para a maturidade física e psicológica da criança.